Campeonato Brasileiro de Patinação de Velocidade – 20 a 22/04/2018 – Sertãozinho, SP


Venha e participe do Campeonato Brasileiro de Patinação de Velocidade, estarão em disputa pelo título Brasileiro os melhores atletas do Brasil.

Categorias: Mini mirim até 8 anos, Pré Mirim 8 a 10 anos, Mirim 9 a 12 anos, Pré Junior 11 a 14 anos, Junior 15 a 18 anos, Adulto a partir de 19 anos, Master 30, Master 40, Master 50, Master 60, Master 70, Master 80, Deficientes Visuais.

Na Categoria Estreantes poderão participar os atletas que nunca foram federados nem participaram de outras edições do Campeonato Brasileiro, nos locais que se tem federação é preciso do aval da mesma.

Categorias: Estreantes até 8 anos, Estreantes 9 e 10 anos, Estreantes 11 e 12 anos, Estreantes de 13 a 15 anos.

Evento no Facebook :  https://www.facebook.com/events/803667323162805/

Informações: (61) 982820264

 

Gritos de apoio materno incentivam novos talentos durante o Troféu Brasil – Patinação de Velocidade

Sertãozinho – Vai filha! Corre, Manu! Respira, Bia! Calma, Júlia! Que mãe que vai assistir um filho competindo e consegue ficar sentada só observando? Raríssimas! Durante os três dias de competições no Troféu Brasil de Patinação de Velocidade, na cidade de Sertãozinho (SP), as mamães Adriana, Flávia e Cristiane mostraram o porquê estar ao lado das filhas faz toda diferença. As três jovens atletas competem pela equipe Superação, de São Paulo.

As filhas, com a palavra das mães!

Beatriz Ambrozio tem 9 anos e conquistou o 1º lugar nas provas de CRI (Contra-Relógio Individual) e habilidades, além do 2º lugar nas provas de 8 e 12 voltas. Com apenas um ano de treino, a mãe Adriana Ambrozio conta que a filha  não conhecia o patins, mas depois da primeira aula de patinação nunca mais quis parar e desde então, ela e o marido fazem questão de acompanhá-la nas competições. “É muito emocionante vê-la competindo e gostamos de estar presentes, torcendo e apoiando. Nesse tempo patinando, ela ganhou autoconfiança e muito foco na escola e isso pra nós é motivo de muito orgulho”, disse.

Manuela Giustino também tem 9 anos e é parceira da Beatriz desde o berçário, além disso elas comemoram aniversários um dia após a outra. A “Manu” como é chamada pela turma conquistou no Troféu Brasil o 2º lugar na prova de habilidades e foi 3ª colocada nas provas CRI, 8 e 12 voltas. A mamãe Flávia garante que sempre ensina que ganhar e perder faz parte e que é necessário buscar o melhor em cada prova. Sobre o fato de estar sempre presente nas competições e ‘gritando’ com a filha, ela também disse que nem sempre isso foi aceito com tanta facilidade. “Uma vez ela reclamou que eu gritava muito, mas sentamos, conversamos e expliquei que isso era uma forma de apoio e incentivo e não de cobrança. Então começamos a trabalhar para lidar melhor com ela durante os jogos para não pressionar muito e não atrapalhar no desempenho final”, comentou.

Júlia Almeida Ramires é a mais velha desse trio, com 12 anos. Não muito diferente das outras mães, foi Cristiane que também apoiou e incentivou a filha a começar a patinar. Com um ano na modalidade, Júlia é uma das atletas que além de todos os benefícios já conhecidos, teve um motivo a mais pra comemorar a patinação como contou a mãe: “A Júlia sempre gostou que estivéssemos presentes nas competições. Como ela tinha um problema sério com o hipotireoidismo, depois que ela começou a patinar tudo na vida dela em questão de saúde melhorou, ela cresceu mais e a disposição aumentou. Na última competição ela enfrentou três meninas ótimas e ainda assim ganhou  uma medalha de honra ao mérito, foi emocionante”, finalizou.

MÃE POSTIÇA E EXEMPLO

Giselma Rodrigues Garcia, a “Gi”, também é atleta da equipe Superação e é considerada a “mãe postiça” das garotas. Aos 44 anos, também mãe, sempre demonstra para as mais novas o quanto o esporte influencia na autoestima, melhora o rendimento e principalmente foi a realização do seu próprio sonho em patinar. “Eu me sinto livre patinando e é isso que tento mostrar para as meninas, quando estou perto procuro apontar que elas podem tudo e conseguem. Não podem desistir No começo, elas eram bem mais tímidas e inseguras.”

* Gi competiu na categoria Master 40 e foi campeã das provas de 1.000 m, 5.000 m e 10km

Foto: Laura Dinamarco/Blue PR / 2 Toques
(11) 2505-925