Superação e acidente levam patinador à conquista heroica neste fim de semana

Casos de superação marcam os esportes em geral e foi assim durante o Troféu Brasil de Patinação de Velocidade, realizado em Sertãozinho (SP) no último final de semana. O curitibano Cleildo da Silva, da equipe Capital Speed, protagonizou uma das cenas mais emocionantes da competição: além de um tombo gravíssimo, que o levou para o hospital, o atleta voltou no dia seguinte e ficou entre os quatro melhores na prova mais longa, de 15 km.

O ACIDENTE

Durante a bateria de 1.000m no sábado (14) pela manhã, Cleildo entrou com uma estratégia definida: não sair forte na largada da prova e conseguir se recuperar ao longo das voltas. Foi o que fez durante todo o início, até que após uma das curvas, entrou na parte reta da pista e desequilibrou batendo com a cabeça nas grades de proteção e foi aí que tudo escureceu.

“Acho que apaguei um tempo, mas quando vi o sangue no meu rosto, já não sentia mais as pernas também, o quadril estava muito dolorido e não conseguia raciocinar o que tinha acontecido ali”, comentou.

Prontamente o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado e o atleta foi encaminhado a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Lá, realizaram procedimentos básicos e além da medicação necessária, também foram feitos três exames radiográficos que não detectaram nada mais grave.

“Voltei para o Patinódromo logo depois do atendimento na UPA, mas infelizmente não tinha condições de disputar as provas no período da tarde, além das dores, também estava bastante medicado. Durante a noite não conseguia dormir, ficava pensando em tudo que tinha acontecido, como tinha me preparado para essa competição e não queria abandonar tudo. Estava na expectativa de como acordaria no domingo e se conseguiria voltar a competir”, lembrou Cleildo.

A SUPERAÇÃO

E o último dia de provas no interior paulista chegou e com a competição mais longa de 15 km ele voltou a correr e conquistou o 4º lugar, com muita superação, emocionando o público presente.
“Passei a noite fazendo gelo, fui dormir de madrugada e quando acordei já estava no clima de competir, que loucura né? Mas eu só pensava em ‘quero correr, quero correr’. Fui para a prova, senti muitas dores, mas só pedia para ter forças até o fim e torcia para que tudo ali fosse bem e não só comigo, mas com todos os atletas, pra ninguém passar pelo que passei no dia anterior. Terminar a prova em 4º lugar e atrás dos principais atletas foi algo incrível e que nunca irei esquecer”, finalizou emocionado.

Cleildo tem 37 anos e há cerca de 20 anos está na patinação, além de praticar paralelamente o ciclismo e trabalhar como publicitário. Com preferência por provas que exigem mais resistência, na velocidade já foi bicampeão da meia-maratona, além de participações em sul-americanos e nos campeonatos paranaenses, catarinenses e brasileiros.

Foto: Laura Dinamarco/Blue PR / 2 Toques
(11) 2505-925