Confira os resultados completos do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade, realizado entre os dias 13 e 15 de outubro, em Sertãozinho – SP

RESULTADOS TROFÉU BRASIL 2017

PONTUAÇÃO TROFÉU BRASIL 2017

RANKING BRASILEIRO PATINAÇÃO DE VELOCIDADE 2017

MINI MIRIM FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

MINI MIRIM MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

PRÉ MIRIM FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

PRÉ MIRIM MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

MIRIM FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

MIRIM MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

PRÉ JUNIOR FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

JUNIOR FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

JUNIOR MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

ADULTO FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ADULTO MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 30 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 30 MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 40 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 40 MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 50 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

MASTER 50 MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES 7-8 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES 9-10 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES 11-12 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES 13-15 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES 13-15 MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES ACIMA 15 FEMININO – TROFÉU BRASIL 2017

ESTREANTES ACIMA 15 MASCULINO – TROFÉU BRASIL 2017

 

 

 

 

Gritos de apoio materno incentivam novos talentos durante o Troféu Brasil – Patinação de Velocidade

Sertãozinho – Vai filha! Corre, Manu! Respira, Bia! Calma, Júlia! Que mãe que vai assistir um filho competindo e consegue ficar sentada só observando? Raríssimas! Durante os três dias de competições no Troféu Brasil de Patinação de Velocidade, na cidade de Sertãozinho (SP), as mamães Adriana, Flávia e Cristiane mostraram o porquê estar ao lado das filhas faz toda diferença. As três jovens atletas competem pela equipe Superação, de São Paulo.

As filhas, com a palavra das mães!

Beatriz Ambrozio tem 9 anos e conquistou o 1º lugar nas provas de CRI (Contra-Relógio Individual) e habilidades, além do 2º lugar nas provas de 8 e 12 voltas. Com apenas um ano de treino, a mãe Adriana Ambrozio conta que a filha  não conhecia o patins, mas depois da primeira aula de patinação nunca mais quis parar e desde então, ela e o marido fazem questão de acompanhá-la nas competições. “É muito emocionante vê-la competindo e gostamos de estar presentes, torcendo e apoiando. Nesse tempo patinando, ela ganhou autoconfiança e muito foco na escola e isso pra nós é motivo de muito orgulho”, disse.

Manuela Giustino também tem 9 anos e é parceira da Beatriz desde o berçário, além disso elas comemoram aniversários um dia após a outra. A “Manu” como é chamada pela turma conquistou no Troféu Brasil o 2º lugar na prova de habilidades e foi 3ª colocada nas provas CRI, 8 e 12 voltas. A mamãe Flávia garante que sempre ensina que ganhar e perder faz parte e que é necessário buscar o melhor em cada prova. Sobre o fato de estar sempre presente nas competições e ‘gritando’ com a filha, ela também disse que nem sempre isso foi aceito com tanta facilidade. “Uma vez ela reclamou que eu gritava muito, mas sentamos, conversamos e expliquei que isso era uma forma de apoio e incentivo e não de cobrança. Então começamos a trabalhar para lidar melhor com ela durante os jogos para não pressionar muito e não atrapalhar no desempenho final”, comentou.

Júlia Almeida Ramires é a mais velha desse trio, com 12 anos. Não muito diferente das outras mães, foi Cristiane que também apoiou e incentivou a filha a começar a patinar. Com um ano na modalidade, Júlia é uma das atletas que além de todos os benefícios já conhecidos, teve um motivo a mais pra comemorar a patinação como contou a mãe: “A Júlia sempre gostou que estivéssemos presentes nas competições. Como ela tinha um problema sério com o hipotireoidismo, depois que ela começou a patinar tudo na vida dela em questão de saúde melhorou, ela cresceu mais e a disposição aumentou. Na última competição ela enfrentou três meninas ótimas e ainda assim ganhou  uma medalha de honra ao mérito, foi emocionante”, finalizou.

MÃE POSTIÇA E EXEMPLO

Giselma Rodrigues Garcia, a “Gi”, também é atleta da equipe Superação e é considerada a “mãe postiça” das garotas. Aos 44 anos, também mãe, sempre demonstra para as mais novas o quanto o esporte influencia na autoestima, melhora o rendimento e principalmente foi a realização do seu próprio sonho em patinar. “Eu me sinto livre patinando e é isso que tento mostrar para as meninas, quando estou perto procuro apontar que elas podem tudo e conseguem. Não podem desistir No começo, elas eram bem mais tímidas e inseguras.”

* Gi competiu na categoria Master 40 e foi campeã das provas de 1.000 m, 5.000 m e 10km

Foto: Laura Dinamarco/Blue PR / 2 Toques
(11) 2505-925

Aos 62 anos, “pastor” sobe ao pódio quatro vezes durante o Troféu Brasil – Patinação De Velocidade

Sertãozinho – Ele já praticou natação, vôlei, tênis de mesa, futsal e futebol e desde o mês de abril começou a patinar e seguir carreira esportiva na patinação de velocidade. Com esse ânimo todo nem parece que estamos falando do Sr. Paulo Sérgio Gomes, de 62 anos, que defende a equipe Gotcha de São Paulo. O “pastor”, como é conhecido, foi campeão em quatro provas do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade no último fim de semana, em Sertãozinho.

“Eu sempre gostei de praticar esportes desde muito novo, sendo muito versátil, por isso fiz todas essas modalidades. Temos que pensar na saúde em primeiro lugar e nada melhor do que o esporte”, explicou Paulo.

Paralelo à vida de atleta, atuou por dez anos como Pastor em Londrina e região, passou por Itanhaém e Cosmópolis e há 13 anos está na capital paulista. Com a ordenação que possui, virou professor de seminário, começou a trabalhar numa editora presbiteriana, além de colaborar em algumas congregações.

“Todos os colegas que tenho nesses locais dizem que sou um exemplo para muitos, por ter essa vida esportiva paralela à Igreja e por estar num esporte como a Patinação de Velocidade e começando aos 62 anos de idade”, comentou.

O “Pastor”, que sempre tem um sorriso no rosto, afirma que sempre está em busca de novos desafios para sua vida e é por isso que adora assistir no Youtube vídeos com dicas de patinação. E foi assim que tudo começou e hoje é adepto ao envio de informações pelo whats app, deixando todos informados do que faz.

“Eu envio para os meus amigos e familiares as fotos e vídeos das competições, treinos e tento passar pra eles que esporte pode ser praticado em qualquer idade e com qualquer profissão. Temos que pensar na nossa saúde sempre”, enalteceu.

Recentemente, Paulo Sergio Gomes competiu no Campeonato Gotcha com a participação de vários estados e em sua categoria na prova de maratona obteve o 1º lugar. No Troféu Brasil, realizado no último fim de semana, levou quatro prêmios de campeão: nas provas de 500 m, 5.000 m, 1.000 m e 10 km.

 

Foto: Laura Dinamarco/Blue PR / 2 Toques
(11) 2505-9252

Superação e acidente levam patinador à conquista heroica neste fim de semana

Casos de superação marcam os esportes em geral e foi assim durante o Troféu Brasil de Patinação de Velocidade, realizado em Sertãozinho (SP) no último final de semana. O curitibano Cleildo da Silva, da equipe Capital Speed, protagonizou uma das cenas mais emocionantes da competição: além de um tombo gravíssimo, que o levou para o hospital, o atleta voltou no dia seguinte e ficou entre os quatro melhores na prova mais longa, de 15 km.

O ACIDENTE

Durante a bateria de 1.000m no sábado (14) pela manhã, Cleildo entrou com uma estratégia definida: não sair forte na largada da prova e conseguir se recuperar ao longo das voltas. Foi o que fez durante todo o início, até que após uma das curvas, entrou na parte reta da pista e desequilibrou batendo com a cabeça nas grades de proteção e foi aí que tudo escureceu.

“Acho que apaguei um tempo, mas quando vi o sangue no meu rosto, já não sentia mais as pernas também, o quadril estava muito dolorido e não conseguia raciocinar o que tinha acontecido ali”, comentou.

Prontamente o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado e o atleta foi encaminhado a UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Lá, realizaram procedimentos básicos e além da medicação necessária, também foram feitos três exames radiográficos que não detectaram nada mais grave.

“Voltei para o Patinódromo logo depois do atendimento na UPA, mas infelizmente não tinha condições de disputar as provas no período da tarde, além das dores, também estava bastante medicado. Durante a noite não conseguia dormir, ficava pensando em tudo que tinha acontecido, como tinha me preparado para essa competição e não queria abandonar tudo. Estava na expectativa de como acordaria no domingo e se conseguiria voltar a competir”, lembrou Cleildo.

A SUPERAÇÃO

E o último dia de provas no interior paulista chegou e com a competição mais longa de 15 km ele voltou a correr e conquistou o 4º lugar, com muita superação, emocionando o público presente.
“Passei a noite fazendo gelo, fui dormir de madrugada e quando acordei já estava no clima de competir, que loucura né? Mas eu só pensava em ‘quero correr, quero correr’. Fui para a prova, senti muitas dores, mas só pedia para ter forças até o fim e torcia para que tudo ali fosse bem e não só comigo, mas com todos os atletas, pra ninguém passar pelo que passei no dia anterior. Terminar a prova em 4º lugar e atrás dos principais atletas foi algo incrível e que nunca irei esquecer”, finalizou emocionado.

Cleildo tem 37 anos e há cerca de 20 anos está na patinação, além de praticar paralelamente o ciclismo e trabalhar como publicitário. Com preferência por provas que exigem mais resistência, na velocidade já foi bicampeão da meia-maratona, além de participações em sul-americanos e nos campeonatos paranaenses, catarinenses e brasileiros.

Foto: Laura Dinamarco/Blue PR / 2 Toques
(11) 2505-925

Gravação ao vivo no programa Bom dia Cidade, na EPTV Ribeirão Preto

Hoje de manhã teve gravação ao vivo com a repórter Talita Nonato e o Diretor de Esportes de Sertãozinho, Edilson Paulin, para o programa Bom dia Cidade, na EPTV Ribeirão Preto – afiliada da Rede Globo. O assunto foi a Taça Brasil de Patinação de Velocidade que acontece no Patinódromo Olímpico de Sertãozinho (SP) durante todo o final de semana.

http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/bom-dia-cidade/videos/t/edicoes/v/sertaozinho-sp-sedia-o-campeonato-brasileiro-de-patinacao-de-velocidade/6214689/

 

Sertãozinho é sede do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade

Segunda etapa da competição vai ser classificatória para o Campeonato Sul-Americano

São Paulo – Entre os dias 13 e 15 de outubro, a cidade de Sertãozinho vai ser palco da segunda etapa do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade. A competição será realizada no Patinódromo de Sertãozinho e contará com cerca de 96 atletas divididos nas categorias infantil, adulto, master e estreantes.

O Troféu Brasil de Patinação de Velocidade será classificatório para o campeonato Sul-Americano nas provas de 300m, 500m e 1.000m, que será disputado na Colômbia, emdezembro.

O presidente da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação, Moacyr Filho, está otimista em relação ao nível das provas. “Estivemos com quatro atletas no mundial da modalidade na China e foram feitos os melhores tempos da história do esporte no Brasil. Seguindo a motivação, teremos boa participação no Sul-Americano”, prevê.

Serviço:
Data: 13 a 15 de outubro
Local: Patinódromo de Sertãozinho – Avenida Affonso Trigo – São João. Entrada Livre.

Soma de três provas do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade garante vaga para o Sul-Americano

Atletas precisam pontuar bem nas provas de 300m, 1.000m e 10 km pontos para assegurar suas vagas

São Paulo – Ser rápido, resistente e estratégico. Esses são os quesitos para conquistar uma boa pontuação nas provas da categoria principal do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade e garantir uma vaga para o Campeonato Sul-Americano. A segunda etapa da competição será realizada entre os dias 13 e 15 de outubro, no Patinódromo de Sertãozinho, interior de São Paulo.
Os atletas da categoria principal irão disputar três provas distintas – 300m, 1.000m e 10km – e a soma da pontuação de cada prova irá determinar os vencedores, que ficarão com as duas vagas, tanto no masculino como no feminino, para o Campeonato Sul-Americano que será disputado na Colômbia, em dezembro. “É uma competição muito importante porque estes atletas irão integrar a Seleção Brasileira no Campeonato Sul-Americano para tentar uma vaga para o Brasil nos Jogos Sul-Americanos”, explica Cindya Pardo, diretora técnica de patinação de velocidade da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação.

Para conquistar bons resultados nas três provas, os patinadores precisam ser completos, já que são provas com características diferentes. “Na prova de 300m, os atletas competem sozinhos no Patinódromo em busca do melhor tempo, podendo alcançar uma velocidade média de 60 km / hora”, esclarece Cindya.

Já nos 1.000m, os patinadores participam de baterias e os mais bem classificados disputam a final, sendo que o vencedor é o atleta que chegar na frente no percurso de cinco voltas no Patinódromo.

Na prova de 10km pontos, todos os atletas largam juntos para completar 50 voltas na pista, sendo que existem algumas metas para serem alcançadas durante o percurso. “Algumas voltas determinadas precisam ser mais rápidas para pontuar. É uma prova muito estratégica, sendo que algumas vezes o primeiro a cruzar a linha de chegada não é o vencedor na pontuação final”, comenta Cindya. A diretora também lembra que os patinadores que são ultrapassados com uma volta precisam deixar a prova.

Além da categoria principal (adulto), a segunda etapa do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade também vai contar com as categorias infantil, master e estreantes.

Velocista busca vaga no Troféu Brasil de Patinação de Velocidade

Sofia Scheibler, patinadora especialista nas provas rápidas, quer uma das vagas para o Campeonato Sul-Americano

São Paulo – A cidade de Sertãozinho vai receber o Troféu Brasil de Patinação de Velocidade entre os dias 13 e 15 de outubro. A competição, que vai assegurar quatro vagas – tanto no masculino como no feminino – para o Campeonato Sul-Americano, na Colômbia, será realizada no Patinódromo da cidade. Sofia Scheibler é uma das atletas que brigarão por uma das vagas e espera fazer bons resultados.

Especialista em provas rápidas, Sofia intensificou os treinos mais longos para ter mais resistência. “Pretendo ficar no grupo na prova de 10km e obter melhores resultados nas provas rápidas, de 300m e 1.000m”, conta a atleta.

Natural da Colômbia, Sofia começou a patinar aos cinco anos pelo fato da patinação ser um esporte de destaque no país. Quando mudou para o Brasil, veio para Criciúma (SC) e resolveu seguir na patinação, mesmo com as dificuldades encontradas. “Não há espaço específico para treinar aqui em Criciúma, tenho que patinar na rua ou em algumas quadras”, relata. A atleta diz que acaba treinando mais na bicicleta e com corrida e patina apenas para não perder os movimentos. “É uma grande dificuldade para manter o nível e fica ainda mais difícil melhorar os índices”, desabafa a patinadora.

Mesmo com a falta de estrutura, Sofia conta que se mantém no esporte pela paixão. “Sou a única pessoa de Criciúma que compete na patinação. Muitas vezes penso em parar, mas chega perto de alguma competição e a paixão fala mais alto. É a oportunidade de patinar num local adequado.”

Para assegurar uma das vagas para o Campeonato Sul-Americano, Sofia vai ter duas adversárias diretas: Larissa Paes e Fernanda Alexandre. “Elas treinam juntas, tem mais estrutura. Vou fazer o possível para diminuir esta vantagem”, finaliza a atleta.

A segunda etapa do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade vai contar com as categorias principal, infantil, master e estreantes. A organização é da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação.

Gabriel Silva é um dos destaques do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade

Atleta é recordista nacional na prova de 300 m e está preparado para assegurar sua vaga no Campeonato Sul-Americano

São Paulo – “Minha intenção é vencer e garantir vaga na classificatória. E lá, assegurar o Brasil nos Jogos Sul-Americanos.” É com essa determinação que o brasiliense Gabriel Felix e Silva, de 19 anos, chega a Sertãozinho para disputar o Troféu Brasil de Patinação de Velocidade na categoria principal. A competição, que vai assegurar quatro vagas – tanto no masculino como no feminino – para o Campeonato Sul-Americano, na Colômbia, será realizada entre os dias 13 e 15 de outubro, no Patinódromo de Sertãozinho, interior de São Paulo.

Os atletas da categoria principal irão disputar três provas distintas – 300m, 1.000m e 10km – e a soma da pontuação de cada prova irá determinar os vencedores. Mesmo tendo o recorde nacional da prova de 300 m, Gabriel também pretende obter um bom resultado na prova de 10 km. “Tenho feito treinos gerais, com explosão para seguir bem nos 300 m e de resistência para assegurar uma boa classificação nos 10 km.”

Gabriel iniciou na patinação há dez anos por ser hiperativo e se identificou com o esporte. “Já tinha feito vários esportes e sempre desistia. Vi uma reportagem sobre a patinação e me interessei, minha mãe me incentivou e em três meses estava ganhando a minha primeira competição.” Essa vitória foi determinante para ele seguir no esporte. Hoje, é um dos principais nomes da patinação de velocidade e conta com um grande aliado nos treinos: o irmão, Romildo Neto. “Ele começou no esporte logo depois de mim e hoje competimos juntos, mesmo ele sendo cinco anos mais velho. E isto é um grande incentivo”, comenta Gabriel. Romildo também vai competir em Sertãozinho em busca de uma vaga no Campeonato Sul-Americano.

Mesmo sendo um dos melhores do país e grande promessa, Gabriel tem que dividir os treinos com os estudos e com o trabalho. “Precisa ter um nível muito alto para conseguir viver do esporte.” O atleta costuma treinar na parte da manhã antes de iniciar os estudos na faculdade de administração, e no período da noite, após o estágio.

Para Cindya Pardo, diretora técnica de patinação de velocidade da Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação, Gabriel é um dos melhores do país e a expectativa é grande para que ele classifique o Brasil para os Jogos Sul-Americanos. “Ele esteve no Mundial da China e ficou entre os 20 melhores, algo muito bom para a patinação brasileira.”

A segunda etapa do Troféu Brasil de Patinação de Velocidade vai contar com as categorias principal, infantil, master e estreantes.