Clubes e Escolas confederados para a temporada 2018 – modalidade Patinação Artística

* Clubes e Escolas habilitados a participar de competições Nacionais e Internacionais Oficiais

UF SIGLA CLUBE / ESCOLA
DF AR ALTA ROTAÇÃO
GO EPMS ESCOLA DE PATINAÇÃO MARCEL STÜRMER
DF ESPAART ESTÚDIO PATINAÇÃO ARTÍSTICA
DF HDANC HOLLY DANCE
DF ICB IATE CLUBE DE BRASÍLIA
PR APAC ASSOCIAÇÃO DOS PAIS E AMIGOS DOS PATINADORES ARTÍSTICOS DE CURITIBA
PR EFPD ESCOLA FOOTWORT PATINAÇÃO E DANÇA
RJ MS MONTE SINAI
RJ RP RIO PATINAÇÃO
RJ STAR STAR PATINAÇÃO ARTÍSTICA
RS AABBPOA ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL – PORTO ALEGRE
RS AGEP ASSOCIAÇÃO GRUPO EXPRESSÃO DE PATINAÇÃO
RS APAM ACADEMIA DE PATINAÇÃO ARTE EM MOVIMENTO
RS ASRI ARTE SOBRE RODAS IGREJINHA
RS CCP CHASSE CIA DE PATINAÇÃO
RS CEM PATINAÇÃO CORPO EM MOVIMENTO
RS CMP CLUBE DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA MAGIA DA PATINAÇÃO
RS CPPA CLUBE PATTINO DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA
RS CPR CLUBE DE PATINADORES ROTELLE
RS CPRS CENTRO DE PATINAÇÃO RODAS DA SERRA
RS CPS PATTINS SUL
RS CPSR ASSOCIAÇÃO CIA DE PATINAÇÃO SOBRE RODAS
RS CWP CLUBE WIRBEL DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA
RS CXL CLUBE XLISE
RS EPAB ASSGAPA / ESCOLA DE PATINAÇÃO ADRIANO BELMONTE
RS EPAER ESCOLA DE PATINAÇÃO ART EM RODAS
RS LPP LA PIETÁ PATTINAGGIO
RS PAP PATINART ACADEMIA DE PATINAÇÃO
RS PLPA PASSION – PALOMA LAZZARONI PATINAÇÃO ARTÍSTICA
RS PPP PATINAÇÃO PASSO A PASSO
RS SGNH SOCIEDADE GINÁSTICA NOVO HAMBURGO
SC ACAP ASSOCIAÇÃO COMPANHIA ARTISTICA DE PATINAGEM
SC ACDB ASSOCIAÇÃO CULTURAL E ARTISTICO DESPORTIVO OS BRILHANTES
SC APAVI ASSOCIAÇÃO DE PATINADORES DO ALTO VALE DO ITAJAÍ
SC CC COLÉGIO CATARINENSE /ASAV
SC CCB COLEGIO CULTURA SOBRE RODAS
SC CCR APP CÔNSUL CARLOS RENAUX
SC FPA FLORIPA PATINAÇÃO ARTÍSTICA
SC ROD DMER RODEIO SC
SC ROI CLUBE RODAS DE OURO ITAJAÍ
SC SDPA SLIP & DANCE PATINAÇÃO ARTÍSTICA
SC UAPA ÚRSULA ANER PATINAÇÃO ARTÍSTICA
SP AABBSP ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL – SÃO PAULO
SP AAPS ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DOS PORTUÁRIOS DE SANTOS
SP APD ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE DESPORTOS
SP APPA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE PATINAÇÃO ARTÍSTICA
SP BPS BRODOWSKI PATINS SHOW
SP CIR CLUBE INTERNACIONAL DE REGATAS
SP CRSG CLUBE DE REGATAS SALDANHA DA GAMA
SP CRT CLUBE DE REGATAS TUMIARU
SP SAC SANTOS ATLÉTICO CLUBE
SP SEP SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS
SP SPFC SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE

 

Abertas as inscrições para o Campeonato Brasileiro e Torneio Nacional de Patinação Artística 2018

Classificatório para o Campeonato Pan-Americano Colômbia 2018

 

EVENTO

  • Campeonato Brasileiro de Patinação Artística 2018  (Classe Internacional)
  • Campeonato Brasileiro de Shows de Patinação Artística
  • Torneio Nacional de Patinação Artística 2018 – Fase 1

Data : 19 a 26 de abril de 2018 

Local : Clube Internacional de Regatas – Santos, SP

Inscrições : Online pelo link e senha enviado por e-mail para os clubes confederados.

PRAZOS IMPORTANTES 

  • FILIAÇÃO DE ATLETAS  : 10/02/2018
  • INSCRIÇÃO PRÉVIA : 23/02/2018
  • INSCRIÇÃO FINAL : 10/03/2018

Informações  :  ctpa@cbhp.com.br com cópia  para cbhp@cbhp.com.br

Seminário Técnico de Patinação Artística 2018 – 02 a 04/fev – Santos, SP – Programação

Atualização em 24/01/2018

Local : Clube Internacional de Regatas- Santos, SP

Programação

02 de Fevereiro

  • 09:30 – Sistema Rollart *
  • 12:00 – Intervalo
  • 13:30 – Figuras
  • 14:30 – Sistema Rollart *
  • 16:30 – Regulamento TN e Aspirantes
  • 18:30 – Discussão Técnica
  • 19:30 – Encerramento das atividades

03 de Fevereiro

  • 09:00 – Sistema Rollart – Footworks
  • 10:00 – Dança TN
  • 11:00 – Regulamento Internacional
  • 12:30 – Intervalo
  • 14:00 – Key Points **
  • 15:00 – Sistema Rollart *
  • 17:00 – Discussão Técnica e Arbitral
  • 19:00 – Final das atividades

04 de Fevereiro

  • 08:30- Testes para Especialista TN
  • 09:30 – Mesa redonda técnicos e árbitros
  • 13:00 – Final das atividades

* Dentro do sistema Rollart abrangeremos todos os componentes .
** Abrangendo danças de 2018 e seus respectivos key points.

 

PDF: Seminário Técnico de Patinação Artística 2018

História da Patinação Artística

A Patinação Artística sobre rodas teve suas origens na Patinação no Gelo, através de movimentos executados com a finalidade de desenhar figuras.

Surgidos na Noruega como meio de locomoção, os patins (de gelo) mais antigos datam de 1000 a.C., sendo feitos provavelmente de ossos maxilares de veados presos aos pés.

No final da Idade Média, a tendência natural de competitividade dos seres humanos logo os incitou a realizarem disputas, patinando no gelo com elementos que causavam menor atrito, como ossos, lâminas de madeira e posteriormente lâminas de ferro que proporcionavam maior velocidade.

A partir daí, iniciaram-se então as competições de criatividade, que consistiam em desenhar figuras com as lâminas dos patins no gelo, associando-se à capacidade de realizar as figuras com leveza e graça, criando-se assim a Patinação Artística.

Em meados de 1870, James Leonard Plimpton patenteou um projeto de patins de quatro rodas, com um “tacão” de borracha na parte da frente. Surgia o “patim moderno”, parecido com o existente nos dias atuais. A novidade permitia executar movimentos circulares.

Em 1876, com a inauguração do primeiro centro de patinação e a criação de diversos rinques em Paris (França), a Patinação Artística passou a se expandir por toda a Europa.

Antes da Primeira Guerra Mundial (1914), a patinação vivia uma fase de muito entusiasmo, chamada de “BELLE ÉPOQUE”, época em que sua prática nos rinques e parques tornou-se ponto de encontro da elite.

Porém, a Primeira Grande Guerra provocou o fechamento de muitos rinques em diversos países. A patinação foi extinta.

Aos poucos, com a guerra quase por terminar, os países onde se praticava patinação, sentindo que sua juventude tinha necessidade de atividades esportivas, começaram a reativar suas atividades e a patinação ressurgiu de forma organizada e seu desenvolvimento foi crescente.

No Brasil (em São Paulo), no início de 1900, a Patinação era uma atividade exclusivamente recreativa, trazida da Europa pelos filhos de famílias ricas que lá concluíam seus estudos superiores. Tornou-se então um modismo a prática da patinação em rinques e parques, que naquela época serviam de ponto de encontro para a alta sociedade.

Os rinques de patinação, de acordo com o modismo da época, passaram a promover os chamados “concursos de patinação”, onde o patinador se apresentava para o público presente, que ao término das apresentações colocava seu voto numa urna, levando-se em consideração a patinação, naturalidade, elegância e perfeição do melhor patinador(a).

Nessa fase inicial dos concursos, segundo alguns relatos, havia um patinador brasileiro de nome Antoninho Marques, que tornou-se famoso por ganhar todos os concursos em que participou.

Em meados de 1916, surgiu nos rinques José Erotides Marcondes Machado. “Tidoca”, como era conhecido, foi o primeiro brasileiro a participar de um concurso de patinação artística no Exterior, mais precisamente, na França.

Em 1920, “Tidoca” sagrou-se, de forma invicta, campeão brasileiro da modalidade ao vencer todos os concursos de que participou.

Entre 1936 e 1943, a patinação artística passou por período de estagnação no Brasil. Só em 1944, com a inauguração de alguns rinques de patinação, um deles o Rinque Boa Vista, na Ladeira Porto Geral, que a modalidade voltou a ser praticada com regularidade.

Após sua inauguração, em 20 de setembro de 1944, o Rinque Boa Vista tornou-se palco de apresentação dos principais patinadores nacionais. Entre eles, Tidoca Marcondes Machado e Julieta Meira Braga, campeões brasileiros na categoria Clássicos, Otavio Orlandi e sua neta Lourdes Alvarenga na categoria Ritmo, Glauco Giannesi e Branca Banhos na categoria perfeição, Casimiro Valinhos, chamado de grande saltador, na categoria Arrojo, Alvaro de Oliveira Desiderio e Fanny Stefan na categoria Elegância, Rafael Bologna na categoria Classe, e Antonio Requena Neto e Ligia Perissinoto, considerados a melhor dupla brasileira da época na categoria Harmonia.

Em 1947, foi realizado o I Campeonato Mundial de Patinação Artística, promovido pela FIRS (Federação Internacional de Roller Skating), na cidade de Washington (EUA). O Brasil participou pela primeira vez de um Campeonato Mundial na Alemanha somente em 1972.

Enquanto continuavam os concursos em rinques, a patinação iniciou uma nova fase, passando a ser praticada também em clubes. Aproveitando a vinda do espetáculo sobre rodas Skating Vanities, na década de 50, estes começaram a organizar shows. Esta fase perdurou até a década de 70. A partir daí a Patinação Artística tornou-se competitiva e poucos shows continuaram a existir.

Em 1955, o Comendador Hiada Torlay passou a fabricar patins de rodas no Brasil.

Na década de 1970, com seus próprios recursos, Torlay convidou técnicos e patinadores do Chile, Argentina, Uruguai e Colômbia, para darem cursos de patinação. Iniciou-se a implantação da patinação artística competitiva na América do Sul.

Em 1971, foi realizado o I Campeonato Sul-Americano de Patinação Artística no Ginásio do Ibirapuera, com a participação de Brasil, Uruguai, Argentina e Colômbia. A brasileira Cecília D’Andrea sagrou-se a primeira campeã sul-americana da modalidade. Cecília voltou a repetir o feito em 1973, tornando assim bicampeã continental.

Em 1972, o Brasil participou pela primeira vez de um Campeonato Mundial de Patinação Artística em Bremen (Alemanha).

A convite do Comendador Hiada Torlay, Cecília D’Andrea, que apenas pretendia assistir ao campeonato, objetivando adquirir mais experiência, efetivou sua inscrição na categoria individual feminino e participou do XVII Campeonato Mundial de Patinação Artística.

Nos dias 7 e 8 de maio de 1975 foi realizado o I Campeonato Brasileiro de Patinação Artística no Clube Militar do Rio de Janeiro.

Desde então, a Confederação Brasileira de Hóquei e Patinação tem realizado regularmente campeonatos brasileiros e participado de todos os campeonatos sul-americanos, pan-americanos e mundiais.

Fontes (consulta):

  •  Fédération Internationale de Roller Skating
  •  Arquivo Histórico – Ligia Perissinotto Requena
  •  Arquivo Histórico – Comendador Hiada Torlay

 

Publicado originalmente no site CBHP em 05/05/2002

Datas de eventos Sul-Americanos e Pan-Americanos da temporada 2018

Prezados Presidentes de Federação e membros dos Comitês Técnicos da CBHP,

Para efeitos de planejamento, seguem as datas dos eventos Sul-americanos e Pan-americanos previstos para 2018, definidas em reunião do Comitê Executivo da Confederação Sulamericana de Patinagem (CSP) mantida em Medellín/Colômbia no dia 6/12 passado durante o Campeonato Sulamericano de Patinação de velocidade:

  • 26 de maio a 04 de junho, Cochabamba/Bolívia: Jogos Sulamericanos (Patinação Artística e Patinação de Velocidade) – evento quadrienal da organização ODESUR
  • 12 a 18 de agosto, Santos/Brasil: Campeonato Sulamericano de Hóquei tradicional (masculino e feminino) – evento bianual da CSP
  • 23 de agosto a 08 de setembro, Bogotá/Colômbia: Campeonato Pan-americano (Patinação Artística) – evento bianual da CPP
  • 06 a 18 outubro, Buenos Aires/Argentina: Jogos Olímpicos da Juventude (Patinação de Velocidade) – evento quadrienal do COI
  • 03 a 10 de novembro, Monterrey/México: Campeonato Pan-americano (Patinação de Velocidade) – evento bianual da CPP
  • 01 a 08 de dezembro, Mendoza/Argentina: Campeonato Sulamericano de Hóquei in Line – evento bianual da CSP

Atenciosamente,

Moacyr Neuenschwander Junior
Presidente